Segue-me por Email

quarta-feira, 4 de maio de 2011

(Re) visitando as origens!

Chocalhada revivida na Salavessa

Pelo sexto ano consecutivo, no Sábado de Aleluia (23 de Abril), a Associação SalavessaViva organizou a tradicional Chocalhada pelas ruas da aldeia, reavivando assim uma prática centenária cujas origens se perderam na memória colectiva, mas a que não é certamente alheia a ligação à actividade pastorícia que sempre caracterizou esta aldeia do concelho de Nisa.
A Chocalhada teve início às 11h, depois da concentração às 10h30 no Largo da Igreja, levando quase uma centena de pessoas por um percurso de cerca de três quilómetros, pelas ruas e em redor da aldeia, ao som do grande alarido provocado pelo tilintar dos chocalhos transportados por cada pessoa.
Depois de muitos anos sem se realizar, a tradição foi recuperada há seis anos pela Associação SalavessaViva, constituída na sua maioria por jovens residentes ou com raízes na Salavessa, que este ano ofereceu aos participantes um almoço convívio de porco no espeto.
Manifestação típica e comum em alguns pontos do país e do distrito na época pascal, não se sabe ao certo qual a origem da Chocalhada na Salavessa ou em Montalvão, as únicas aldeias do concelho de Nisa onde esta manifestação se realiza no Sábado de Aleluia, como explicou João Matos, presidente da Associação SalavessaViva.
Ainda assim o uso dos chocalhos, em tempos passados retirados ao gado para saírem à rua nas mãos dos populares na celebração da ressurreição de Cristo, não é de estranhar numa freguesia, como é a de Montalvão, onde a pastorícia sempre foi uma das principais actividades económicas.
À semelhança dos anos anteriores, a população local, os filhos da terra ausentes durante a maior parte do ano e muitas pessoas vindas de outras paragens do concelho de Nisa e fora dele, continuaram a marcar presença na iniciativa, que contribui para a preservação de uma das tradições mais típicas da aldeia (e do concelho), bem como da sua memória colectiva e identidade.
Teresa Melato / Hugo Mendonça


Fotos - Aqui

Sem comentários: