Segue-me por Email

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

"Se hoje ouvirdes a voz do Senhor...

…não fecheis os vossos corações.” Salmo 94






A vida presente é aquele dia que se chama hoje, em que Ele espera a nossa resposta. É o «hoje» em que tudo é de novo possível.

Manuel António, natural de Retaxo, vinte e cinco anos, licenciado em Sociologia, Dirigente do Agrupamento de Escuteiros 624 de Cebolais de Cima, pertence ao Grupo de Jovens de Retaxo – Caminhantes da Paz e ao Secretariado Diocesano dos Convívios Fraternos, professor de Educação Moral e Religiosa Católica em Portalegre na Escola Básica 2/3 Cristóvão Falcão, vai ingressar no próximo dia 5 de Outubro na Companhia de Jesus!
Antes da sua partida, quisemos registar o seu testemunho…
SDMD – Manuel António, este chamamento do Senhor, que agora ocorreu, certamente foi fruto de um caminho trilhado. Fala-nos um pouco da tua vida nomeadamente dos primeiros anos da tua juventude e de todo esse caminho que foste percorrendo.

Manuel António- Desde a minha infância que me lembro de ir à missa acompanhado pelos meus pais, tenho algumas recordações de me deixar dormir ao colo de um deles na missa do Galo. Bem mas passando a assuntos mais sérios, fiz toda a caminhada da Catequese até à Confirmação a partir desse momento comecei a ser catequista e a poder transmitir aos outros tudo aquilo que tinha aprendido, senti a necessidade de servir os outros, mais directamente. Entretanto, aos 14 anos entrei para os Escuteiros, sendo o meu Agrupamento um dos pilares da minha formação humana e que em muito contribuiu para que a minha relação com Deus seja cada vez mais sólida. Com o passar dos tempos fui crescendo e chegou uma das alturas mais importantes na vida de cada jovem, o tempo da Universidade, nessa altura surgiu a oportunidade de realizar o meu Convívio Fraterno, uma das experiências mais enriquecedoras a nível de fé e de encontro com pessoas, que hoje são dos meus melhores amigos e que me levaram a conhecer a Companhia de Jesus, mais propriamente o CUMN (Centro Universitário Manuel da Nóbrega em Coimbra). Aqui tive o privilégio de integrar o grupo Bússola (grupo de voluntariado missionário) e fazer projecto em São Tomé e Príncipe nos verões de 2006 e 2007. No CUMN tive a possibilidade de participar em inúmeras actividades, que me deram a conhecer a Espiritualidade Inaciana.
SDM – Disseste que “vou mudar de vida”. De facto mudar a vida por completo, aos vinte e cinco anos, não é fácil, mas é certamente algo bem amadurecido no teu coração?
Manuel António – Sim, foi algo muito ponderado e bem discernido, uma vez que uma decisão de tamanha radicalidade não se toma de ânimo leve. Esta decisão foi rezada ao longo de muitos meses, as dúvidas e incertezas faziam e fazem parte de todo o processo e tenho a clara consciência de que continuarão a fazer parte do meu dia-a-dia. A decisão só foi “fechada” nos Exercícios Espirituais de 7 dias, aí tive a plena certeza de que Ele me levava a seguir por este caminho.
SDM – O que deixas para trás? E o que procuras, neste novo caminho?
Manuel António- Não é bem deixar para trás, mas sim abdicar de algumas coisas para conseguir encontrar o meu caminho de realização e de me colocar no caminho que Ele traçou para mim. No que toca a coisas concretas, posso dizer que deixei os meus alunos e colegas de trabalho, o meu Agrupamento, os Convívios Fraternos, o Grupo de Jovens e inúmeras, outras coisas que faziam parte do meu quotidiano. No entanto, sei que este novo caminho me vai trazer algo que me faltava para ser plenamente realizado/feliz, onde a entrega e o serviço aos outros pode ser total, sem limites e só vou chegar onde Deus me levar.
SDM – Como diz o Salmo 94 “Se hoje ouvirdes a voz do Senhor, não fecheis os vossos corações!”Foi isto que aconteceu?
Manuel António - Acredito bem que sim, em tempos sempre disse que a vida consagrada não era para mim e dizia que nunca seguiria esse caminho. Entretanto, Ele tem um sentido de humor fantástico e vai-nos pregando rasteiras e colocando certas dúvidas em momentos que às vezes nem esperávamos e foi como diz a frase do Salmo, não conseguir dizer-lhe que não, acredita que a minha vontade muitas vezes foi dizer-lhe que queria manter a minha vida “normal”, seria tudo mais fácil. Como sabes, Ele não desiste facilmente de nós e continua a insistir sempre, se lhe fecharmos a porta, Ele vem e bate-nos à janela e se mesmo assim não O quisermos ouvir, Ele é umchato e continua a insistir até que o nosso coração não resiste ao Seu convite de amor… e lhe dizemos sim com a plena confiança de que este trilho é feito de pequenos passitos e que Ele estará sempre connosco.
SDM – Vais entrar para o Noviciado da Companhia de Jesus. Serás padre ou irmão, se Deus quiser, daqui a alguns anos. Fala-nos desse caminho que, em breve, vais iniciar.
Manuel António – A formação dos jesuítas tem pilares centrais que são os dois anos de Noviciado; seguidos de alguns anos de Filosofia e Humanidades, normalmente três anos; o magistério, “estágio prático” de dois anos; cinco anos de Teologia e finalmente a Terceira Provação, por conseguinte não há muitos jesuítas com formações idênticas, cada um vai trilhando o seu caminho conforme a sua caminhada interior e atendendo sempre às necessidades da Província. A primeira etapa – Noviciado, aquela que vou iniciar já no dia 5 de Outubro é um tempo de maior recolhimento, onde vamos conhecer a Companhia por dentro, estreitarmos a nossa relação com Deus e conhecermo-nos melhor e confirmarmos a decisão de O seguir.
SDM – “Podes comunicar-te comigo por carta”… No século XXI, na era digital…Como será voltar ao “antigamente”?
Manuel António - Acho que será mesmo engraçado o poder voltar a escrever cartas, hábito que há muito se perdeu, as cartas são algo de muito valor, uma vez que aquilo que sentimos é expresso e registado por palavras e acabamos por guardar e voltar a elas sempre que necessário. Acredito que as novas tecnologias muitas das vezes nos levam à falta de liberdade, a estarmos presos a algo que é supérfluo, como o telemóvel e a internet. O desprendimento destas pequenas coisas só nos fará bem! Todos devíamos experimentar deixar o telemóvel e a internet de lado durante uns dias… fica a proposta!
SDM – Que mensagem gostarias de deixar aos jovens?
Manuel António – Não tenho nenhuma mensagem em concreta, simplesmente o de se deixarem tocar por Ele e nunca nos esquecendo que nós também somos pequenos instrumentos de Deus na vida dos que nos rodeiam. Devemos de O saber ver nas pequenas coisas, é na simplicidade que Ele se encontra, na partilha, nas pequenas e singelas coisas do nosso quotidiano Ele está lá. Baden-Powell, o fundador do escutismo diz algo que pode resumir aquilo que quero dizer aos jovens, que nós só somos verdadeiramente felizes se contribuirmos para a felicidade dos outros. Fica o excerto de uma música: “E se algum dia me afastar de ti, E se algum dia me esquecer de nós, Vem procurar-me onde eu estiver Não penses que eu sei ser sem ti, sou apenas um aprendiz de Viajante!” Sejam pequenos aprendizes de viajante!
Agradecemos ao Manuel António a sua abertura e disponibilidade para este testemunho e desejando-lhe  as maiores felicidades para a sua nova vida, nova missão, e unimo-nos a ele  com a nossa Oração amiga!
Elsa Sequeira



Publicado - AKI

1 comentário:

Anónimo disse...

este comentario que aqui deixo vai para uma das pessoas mais extraordinarias que ja conheci, nomeadamente ao MANUEL ANTONIO , felizmente tive a oportunidade de o conhecer como pessoa e professor!
esta sua ex-aluna deseja-lhe as maiores felicidades do mundo para esta sua nova jornada !
uma grande beijoca da sua ex-aluna
S.M. do 6ºe 2009/2010.