Segue-me por Email

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Defesa da maternidade




Milhões de mulheres grávidas e crianças morrem cada ano por desnutrição ou serviços de saúde inadequados. Há dez anos atrás, os líderes mundiais comprometeram-se a reduzir drasticamente o vergonhoso número de mortes maternas até 2015, mas na verdade os recursos destinados à assistência continuam muito baixos. Alguns governos até querem fortalecer a assistência para mães e bebés, mas precisam de apoio popular para convencer todos os governos a aderirem.

Dentro de poucos dias, os governantes irão encontrar-se em Nova York. Vamos gerar um clamor global contra essas mortes desnecessárias. Assine a petição abaixo pedindo a duplicação da assistência para mães e crianças – ela será entregue aos principais líderes governamentais na cúpula em Nova York:

Nos últimos 10 anos, desde o lançamento dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, avanços significativos foram alcançados para combater a pobreza – um terço a menos de mães morreram durante o parto devido ao aumento da ajuda e investimento em assistência médica. Entretanto, milhões de mulheres grávidas ainda morrem desnecessariamente e a cada ano 9 milhões de crianças morrem antes de completarem 5 anos.

Já existem estruturas para o envio de assistência para programas de HIV/AIDS, malária e tuberculose, mas não há um sistema similar para a assistência médica para mães e crianças. Especialistas acreditam que a melhor forma de se obter um impacto imediato é assegurando que a assistência prometida seja duplicada e coordenada para levar de forma efectiva a assistência médica às mães e crianças que mais precisam.

Faltando apenas 5 anos para o cumprimento dos Objectivos do Milénio, há o risco dos nossos líderes usarem a crise económica como forma de diminuir o seu compromisso com as populações mais pobres do mundo. A sociedade civil global sempre foi responsável por liderar a luta contra a pobreza, pressionando os líderes mundiais para agir de forma efectiva, e agora depende novamente de nós. Assine a petição para salvar mães e crianças:


Publicado - Aki

Sem comentários: