Segue-me por Email

sábado, 7 de fevereiro de 2009

A escola...local de discriminação...

Eu frequentei a escola num tempo em que a escola era um sítio aprazível, onde os professores nos incentivam a estudar, nos promoviam, e onde todos éramos respeitados como iguais, ainda que houvesse diferenças, elas eram anuladas. Recordo com saudades esses tempos.

Hoje a escola tornou-se um campo de batalha, e são muitos os exemplos que temos visto. E por muitos valores que tentemos incutir aos nossos filhos, acredito que num sítio, como a escola eles se vão perdendo, sinceramente acredito que sim! Estamos em Portugal, Século XXI. Há greves de professores, de alunos, vandalismo e a culpa é do sistema, da ministra e afins.

E de quem é a culpa da discriminação que existe na escola?
Fiquei perplexa quando soube que são promovidas viagens a Londres, Espanha, Paris etc, etc; essas viagens intituladas, porque agora está na moda, visitas de estudo, que de estudo nada têm e que os desgraçados dos pais pagam só de viagens cerca de quinhentos euros, acham normal?

Num país em crise, num país cheio de desempregados? Mas afinal a escola é para estudar ou para passear?

-Só a minha filha e a aluna mais pobre da turma é que não foram - queixava-se uma amiga; - Tenho três filhos, a vida é muito complicada, e quinhentos euros é muito dinheiro, depois, mais a alimentação para uma semana - Vi os seus olhos entristecerem-se; vi a sua filha descriminada; vi que a escola não é isto ou pelo menos não deveria ser...
Estará na hora de greve/revolta dos pais?


Escola Secundária Nuno Álvares Castelo Branco

Esta era a minha escola, que recordo sempre com muitas saudades!

**



9 comentários:

elsa nyny disse...

Amigos professores, não fiquem melindrados, mas há questões nas quais temos que parar umn pouco e pensar! Afinal o que se anda a fazer?

Um abraço para todos os professores, alunos, pais e amigos!

Neia disse...

ola querida elsa...
AO ler o que escreves-te lembrei-me da minha viagem de estudo que fiz no nono ano... e lemnro-me de uma amiga minha nao poder ir por esse motivo mesmo e noso como Amigos que fomos ajudamos os pais dela a pagar a viagem...mas claro ja passaram 5 anos e os tempos agora são outros...as viagens nao eram 500 € nem nunca chegaram perto...mas tiravamos sempre bom partido das coisas...

mas sim acedito que as escolas de hoje em dia precisam de uma grande reforma...os professores nao são os pais mas podem sim ser os segundos pais...e haver uma maior esforço pra que nao haja desistencias...
e podem.se fazer viagens bem mais acessiveis e dentro do nosso País... ate mesmo na nossa terra...basta saber tirar partido do que lá vamos fazer e ver...e com quem partilhamos esses momentos....isso sim seria o ideal em tudo =D

beijo grande...

Neia

elsa nyny disse...

Olá Neia!
De facto os tempos vão mudando, e foi muito nobre o vosso gesto de ajuda; as viagens poderiam de facto ser outras e em vez de excluir poderiam incluir, isso seria realmente importante!
Quanto aos professores, de facto recordo-me que tive professores que foram mais que pais para muitos dos meus colegas que por esta razão ou aquela se encontravam perdidos; recordo-me também que o nosso respeito pelos professores era algo levado a sério, hoje em dia, e pela experiência que tenho das turmas do meu filho, tudo deixa muito a desejar...mas, que fazer? Temos que continuar a caminhar!

Bjtsssssss

Anónimo disse...

Há professores idiotas como há idiotas em qualquer outra profissão.

Se calhar também seria interessante testar o sentimento de solidariedade dos outros Encarregados de Educação. Por que não fizeram uma colecta para suportar os custos dos colegas que não podiam pagar a viagem?!

A/O docente não pensou nas consequências dessa iniciativa?!

Eu acho que os pais já deviam ter fechado as escolas e exigir condições melhores para os seus filhos.

Ainda agora estão prontinhos para receber o portátil oferecido (todos os alunos com escalão A,B e C). Deveriam recusá-los e exigir que o governo usasse o dinheiro dos portáteis em beneficio dops alunos!

O Bininho da Confap acerca disso não fala! Ah... claro ele é pago pela patroa Lulu para dizir só que ela quer.

Qualquer dia até o bininho Almeida está nas confe`rência dos Bilderberg!

amor disse...

ojalá el amor antes presente volvamos a sentirlo dentro y fuera

un beso

elsa nyny disse...

Anónimo:
Tens razão: "Eu acho que os pais já deviam ter fechado as escolas e exigir condições melhores para os seus filhos."
A ideia de em vez dos portáteis, o dinheiro resultasse em beneficio para os alunos, também é boa (o meu filho recusou o portatil, a título informativo).


Amor:

Pois era muito bom que de facto o clima nas escolas mudasse, era bom para todos!

Anónimo disse...

Olá amiga Elsa.
Concordo plenamente, até te "roubei" este teu artigo e coloquei-o no Zémaiato, para o levar mais longe.
Beijos de amizade e abraços para Retaxo.
Estava com dificuldade, gravei como anónimo.
José Faria

Anónimo disse...

Elsa

E não considera discriminatórias as peregrinações que as paróquias promovem?!!!! Ai criticar é tão fácil...

Acredite, sou professora, precisamente na escola onde a Elsa foi aluna e onde eu tb estudei. É, por isso, a minha segunda (ou primeira) casa... DEIXEI DE IR A VISITAS DE ESTUDO sempre que tal implique pernoitar. Tenho direito a um horário de trabalho como qualquer outro profissional. Passar noites em claro fazem parte do passado. Agora tento fazer sentir aos Pais a importância de abrir horizontes... E viajar, mesmo dentro de portas, enriquece. Não duvide!

Bjs

elsa nyny disse...

Olá Fá!
Bem vinda!!
Fico muito contente por ser profesora na escola onde estudei!
Por acaso na minha paróquia não se fazem essas peregrinações de que falou...mas, claro que tb serão descriminatórias, pois que nem todos têm dinheiro para elas, imagino... No entanto penso que não se poderá comparar, digo eu, pois que a escola é o local para onde mandamos os nossos filhos para estudar e não propriamente para andarem a viajar pela Europa, digo eu...e numa turma onde existem 20/30 alunos haverá famílias que não poderão suportar essas viagens; não se tratou propriamente de uma crítica, mas sim de uma (triste)constatação; Quanto ás viagens em Portugal, o meu filho costuma ir e penso que sim, que são positivas!

Volta sempre!!!
E quem sabe um dia tomamos um café?

Bjtssssssssss