Segue-me por Email

domingo, 21 de dezembro de 2008

Em tempo de Natal...

A reportagem de VEJA foi conferir de perto o que o mundo, paradoxalmente, parece ignorar: a região de Darfur, no Sudão, é cenário de um genocídio silencioso em pleno século XXI.
Quase metade dos 6 milhões de habitantes de Darfur vive em aglomerações humanas improvisadas, os campos de deslocados internos – ou, simplesmente, refugiados. Outros 2 milhões de pessoas ainda não deixaram suas aldeias, mas foram afetadas pela destruição de lavouras ou pela morte de familiares.
Com a justificativa de combater rebeldes que lutam contra o regime, o governo do Sudão bombardeia aldeias e apóia os janjaweeds, milícias autoproclamadas árabes cuja missão é limpar Darfur de outras etnias. Ao todo, segundo a ONU, já morreram 300.000 pessoas.
Segundo a ONU, não é preciso haver assassinatos em massa para que esse crime se caracterize. Impor condições de vida subumanas a um grupo de pessoas semelhantes entre si, com o objetivo de levar à sua destruição física, também se enquadra nos critérios da definição. É o que ocorre em Darfur.

Exclusivo: slideshow mostra fotos inéditas de Darfur com a narração do editor da revista VEJA Diogo Schelp

Leia a reportagem completa em VEJA desta semana


Publicado AKI

2 comentários:

Felipe Fanuel disse...

O mundo pode ignorar, mas as seguidoras e os seguidores de Jesus de Nazaré nunca são indiferentes com a injustiça. Afinal, foi um ato injusto que matou Aquele quem seguimos.

Elsa, querida, este é um árduo caminho. Caminho de cruz, de isolamento. Na maioria das vezes, nos sentiremos sozinhos nesta luta. No entanto, o nosso Natal é todo dia, pois o Senhor ressuscita as nossas motivações cada vez que Ele nasce nos corações que clamam por Justiça.

Bendita seja a Esperança de um mundo justo! Por mais distante que nos pareça, este mundo ainda é possível nos sonhos daquelas incansáveis pessoas que lutam pela paz que agem para a transformação da nossa grande Casa.

Estamos no mesmo barco. Navegando em meio a tormentas, mas temos fé em alguém que sossega as ondas pavorosas. A propósito, lembro-me de um cântico que cantamos em minha tradição de fé, com o qual quero terminar, que diz o seguinte:

Ó Mestre! O mar se revolta,
As ondas nos dão pavor;
O céu se reveste de trevas,
Não temos um Salvador!
Não se te dá que morramos?
Podes assim dormir,
Se a cada momento nos vemos,
Sim, prestes a submergir?

As ondas atendem ao meu mandar:
Sossegai!
Seja o encapelado mar,
A ira dos homens, o gênio do mal,
Tais águas não podem a nau tragar,
Que leva o Senhor, Rei do céu e mar,
Pois todos ouvem o meu mandar:
Sossegai! Sossegai!
Convosco estou para vos salvar;
Sim! Sossegai!


Um grande beijo de Feliz Natal, minha amiga de navegação.

Maria João disse...

Não te esqueças que o Natal, ou seja o nascimento de Jesus acontece todos os dias. Abre-Lhe a porta!

beijos em Cristo e Maria

PS: Continuemos a rezar pelo Darfur.